Entenda                  como funciona     o Neurofeedback

Neurofeedback (NFB) é um tipo de biofeedback que utiliza métodos diversos, como a eletroencefalografia (EEG) e a hemoencefalografia (HEG), a fim de monitorar e treinar a atividade cerebral, geralmente com o objetivo de equilibrar a atividade do sistema nervoso central.

O neurofeedback baseia-se no registro e treinamento da atividade elétrica do cérebro, com um considerável número de aplicações clínicas. Durante o neurofeedback são colocados sensores em diversos pontos da cabeça do paciente para medir a atividade elétrica cerebral, exibindo estas medidas através de computação gráfica.

O tratamento consiste primeiramente no mapeamento das ondas cerebrais para detectar padrões disfuncionais, através de um eletroencefalograma digital. Após este mapeamento, é definido um plano terapêutico individualizado onde serão trabalhadas as correções da atividade cerebral disfuncional. 

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília
Neurofeedback Brasília

Neurofeedback Brasília

Através de feedbacks visuais e auditivos de seu funcionamento, o cérebro aprende a operar de uma forma mais eficiente. Desta forma, o neurofeedback pode contribuir para a melhoria de um leque amplo de quadros clínicos, como por exemplo: TDAH, distúrbios do sono, enxaqueca; transtornos psíquicos e emocionais como impulsividade, depressão, transtorno de ansiedade generalizada, transtorno do pânico, transtorno bipolar, TOC , dependência química, dentre outros transtornos que envolvem algum tipo de desregulação cerebral, como dislexia, discalculia, misofonia e tinito.

O neurofeedback também tem sido amplamente utilizado para melhora da performance, como melhoria da atenção  e concentração; reabilitação cognitiva; aumento de performance física e/ou artística.

 

Para compreender um pouco mais sobre o funcionamento do neurofeedback, assista à seguinte matéria: